Bodas de ouro: Após 50 anos, trecho da Transbrasiliana pode realmente sair do papel
05/06/2019 16:22 em Região


Em fevereiro de 2018, o Tribuna Mix divulgou reportagem (DNIT garante projeto para trecho da Transbrasiliana entre Erechim e Passo Fundo) de que o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Valter Casimiro, garantiu a publicação da autorização da abertura de licitação do projeto para a obra da rodovia Transbrasiliana, BR 153, entre Erechim e Passo Fundo.
Segundo o DNIT, em outra reportagem publicada em março de 2018 também no Tribuna Mix (Ministro Padilha recebe prefeito Ceron), o trecho ainda não pavimentado já estava todo demarcado e não havia necessidade de promover desapropriações. A BR-153, conhecida como Transbrasiliana, foi inaugurada em fevereiro de 1959 com o objetivo de integrar o País, ligando Marabá, no Pará, a Aceguá, no Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai. São 4.355 quilômetros de extensão, mas só o trecho entre Erechim e Passo Fundo ainda não está pavimentado. A rodovia atravessa oito estados (Pará, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), além do Distrito Federal.
Hoje, o Tribuna Getuliense ficou sabendo que o primeiro passo para a pavimentação da Transbrasiliana entre Erechim e Passo Fundo, poderá ser dado ainda neste mês. O edital desta primeira etapa será aberto dentro deste mês e as empresas interessadas poderão participar.
O deputado estadual Gilberto Capoani (MDB) afirmou esta semana que foi confirmado, em reunião com o diretor-presidente do DNIT, recursos para o projeto de engenharia da obra. No entanto, o deputado garante que não há a menor chance das obras iniciarem neste ano porque para acontecer é necessário garantir verbas em um montante que só será possível ser apontado no projeto.

Texto e edição: Deisy Nara/TG | Fotos: Bruno Kufner/Arquivo TG

COMENTÁRIOS
PREVISÃO DO TEMPO