Governo estuda fechar Delegacias de Polícia na região
21/02/2019 13:45 em Trânsito

 

 

 

O Governo do Estado estuda a possibilidade de fechar diversas Delegacias de Polícia (DP) no Rio Grande do Sul, medida que afetaria diretamente os municípios da região. Preocupado com a situação, o presidente da Associação de Municípios do Alto Uruguai (Amau) e prefeito de Marcelino Ramos, Juliano Zuanazzi, solicitou que delegados de Polícia Civil da 11ª Delegacia Regional de Polícia do Interior (DRPI) participassem de uma reunião na entidade para maiores esclarecimentos e anunciou que está agendando audiência com o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Jr., para discutir o assunto.

Para o prefeito, caso seja confirmado o fechamento de DPs no Alto Uruguai, “a população ficaria desamparada. São quase 300 mil pessoas na região e muitas teriam dificuldade para deslocar até outros municípios para registrar ocorrência ou realizar denúncias”.

Conforme divulgado pelo governo estadual, a ideia seria realizar o fechamento de delegacias que possuem apenas um servidor, já que o fato contraria a técnica policial, que prevê pelo menos dois agentes por unidade. Em contrapartida, nos municípios menores, é comum que a população crie laços com os servidores, procurando-os, mesmo em horários fora de expediente para relatar a presença de suspeitos ou existência de alguns crimes.

A 11ª DRPI é a com maior número de cidades em sua área de atuação, atendendo 37 municípios na região. Em consequência, possui o maior número de delegacias, o que resultaria em, possivelmente, a regional com mais DPs fechadas.

Para o prefeito Zuanazzi, o fato de o Alto Uruguai estar localizado em uma área de fronteira, aumenta ainda mais a preocupação para os municípios da região. “Será lamentável se vier a ocorrer. Vamos junto ao governo estadual construir uma alternativa conjunta para melhorar nossa segurança. O que precisamos é ampliar o efetivo para que a bandidagem não prospere”.

Antes de determinar ou não o fechamento das delegacias, o governo está realizando um mapeamento das unidades, que leva em conta os índices de criminalidade, tanto registros em geral, quanto crimes graves. O estudo ainda envolve o número de habitantes, a proximidade com outras delegacias e os custos com aluguel, água, luz e telefone.

Segundo levantamento feito recentemente pela reportagem, o déficit de policiais civis no Alto Uruguai chegaria a 50%. O fechamento das delegacias faria com que a porcentagem aumentasse ainda mais. No próximo mês de julho, 421 novos agentes devem se formar, em compensação, já existe 700 aptos a se aposentar.

 

Por Alan Dias/Jornal Bom Dia

Foto Alan Dias

COMENTÁRIOS