Falsa promoção de Páscoa já atingiu mais de 330 mil vítimas no WhatsApp
15/03/2018 - 15h32 em Tecnologia

Hackers estão se aproveitando da aproximação do feriado de Páscoa para espalhar um novo golpe no WhatsApp. Dessa vez, a armadilha promove uma falsa promoção de Páscoa que garante um vale-presente no valor de R$ 800,00.

Até o momento, o DFNDR Security, aplicativo de segurança, já bloqueou 330 mil* acessos à armadilha. E os números continuam subindo.

 

Como funciona a falsa promoção de Páscoa

O golpe está sendo disseminado através de um link malicioso pelo WhatsApp. A mensagem, intitulada como “Páscoa premiada”, promete supostos vale-presentes no valor de R$ 800,00 para os usuários.

Ao tocar na mensagem, o usuário é levado a uma página falsa para responder às seguintes perguntas: “Qual presente é comum receber na Páscoa?”, “O coelho da Páscoa simboliza o quê?” e “Que país festeja a Páscoa com as pessoas fazendo guerra de ovos, em vez de comer os de chocolate?”.


Para prosseguir, após responder as perguntas, é necessário dar uma permissão para receber o falso presente. Mas, na verdade, a vítima estará autorizando o recebimento de notificações enviadas por hackers em seu celular.

Além disso, os especialistas do DFNDR Lab, laboratório de segurança digital, também alertam que diversas páginas falsas no Facebook estão sendo criadas com a intenção de imitar grandes redes varejistas e de comércio de doces, com o intuito de levar os usuários a sites com falsas promoções de Páscoa contidos nos posts.

“Tanto a URL que está circulando pelo WhatsApp quanto os falsos e-commerces têm como objetivo roubar dados pessoais e financeiros para depois utilizá-los em outros golpes, como inscrição em serviços pagos de SMS e compras nos cartões de crédito das vítimas”, explica Emilio Simoni, Diretor do DFNDR Lab.

 

Saiba como se proteger

Para não cair em armadilhas como esta, Simoni ressalta a importância de manter um antivírus instalado no celular, de preferência, com funções anti-hacking e anti-phishing. O DFNDR Security, por exemplo, tem um sistema capaz de detectar se um link recebido no WhatsApp, SMS ou Facebook Messenger é malicioso e avisá-lo instantaneamente.

“Além disso, é importante que o usuário crie o hábito de se certificar se as páginas de promoção realmente pertencem às marcas que elas indicam pertencer”, afirma Simoni. Para não haver dúvidas, você pode checar se um link é seguro no site do DFNDR Lab, que te diz na hora se um endereço da Web é ou não confiável. No caso dos perfis em redes sociais, para não cair em golpes, é recomendável avaliar a quantidade de usuários, data e periodicidade das publicações e até mesmo a interação da página com os clientes.

*Dados de detecção atualizados às 12h do dia 15/03/2018

 

 

 

Fonte: Psafe

COMENTÁRIOS