DE OLHO NO CONGRESSO
24/02/2018 18:53 em Política

Presidenciáveis começam a mostrar as garras

A intervenção no Rio de Janeiro, o pacote anunciado pelo governo e o freio de mão na reforma da Previdência acirraram os ânimos

Geraldo Bentes*

O ano político começou de verdade junto com a campanha eleitoral. Como reza a tradição, antes do carnaval, nada de sério acontece no Brasil. Festa da carne e dos exageros, ainda bem que aconteceu logo na primeira quinzena de fevereiro. E já no dia 15, quinta-feira de cinzas, o Governo Federal anunciou a intervenção na área de segurança pública no Estado do Rio de Janeiro, jogando cinzas no ventilador e acirrou a luta política com antecipação das eleições de outubro de 2018. Todos sentiram e acusaram o golpe. As reações dos possíveis candidatos, com os nervos a flor da pele, evidenciam o acerto do jogo de cima.
Henrique Meirelles, grande condutor da enterrada reforma da presidência, perdeu protagonismo e forçou a mão para aprovar medidas econômicas que desagradou os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Maia, com muita irritação, afirma que a tentativa de pautar o congresso era café requentado, mas já baixou a bola e diz que vai pautar as medidas até o fim de março. Enquanto Eunício disse que o Senado não era puxadinho do Poder Executivo.
Bolsonaro votou a favor. O PT votou contra, mesmo sabendo do índice de aprovação da medida, que é de 83% entre os cariocas.
Alckmin, que achava poder contar com o apoio do PMDB, disse que o último presidente paulista foi Rodrigo Alves, Presidente da República de 1902 a 1906, conseguiu se reeleger, mas não assumiu, pois contraiu gripe espanhola e morreu. Esqueceu que Temer é paulista.
Sobre a eficácia da intervenção, o tempo dirá, porém em dez anos esta será a décima terceira vez que o exército se apresenta no Rio de Janeiro.

* MAIS NEWS
* Foto retirada do site do Congresso Nacional/Divulgação Tribuna

 

 

 


Geraldo Bentes circula pelos corredores do Senado e da Câmara atrás da melhor notícia. Os bastidores das comissões, os debates calorosos e os projetos polêmicos de interesse nacional. Alagoano, torce para o CRB e acompanha o diz que diz de Brasília desde 1976. A coluna "De olho no congresso" é publicada todos os sábados no Tribuna Mix.

COMENTÁRIOS