Registrada a primeira morte por suspeita de H1N1 em 2016 na região
08/04/2016 - 14h39 em Saúde

 

O resultado do exame saíra na semana que vem, confirmando ou não a morte por infecção por influenza A

Na manhã desta sexta-feira, 8, em coletiva com a imprensa, o secretário da Saúde Plínio Costa Júnior, o Diretor da Vigilância Sanitária Theodoro Tedesco Neto e o titular da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde (11ª CRS) com sede em Erechim, Marcos Moretto, falaram sobre os casos de H1N1 na cidade.

Em entrevista os responsáveis confirmaram a primeira morte suspeita da gripe em Erechim. O homem de 55 anos, morador da cidade, faleceu nesta semana, no hospital em que estava internado. Segundo o secretário à possível vítima, o homem foi internado com pneumonia e após alguns dias internado teve teve complicação pneumológicas, que o levaram a óbito.Os familiares da vítima, que não teve o nome divulgado, estão sendo monitorados, por agentes de saúde.

O resultado do exame saíra na semana que vem, confirmando ou não a morte por infecção por influenza A. Foi coletada amostras de sangue, que foram encaminhadas para um laboratório em Porto Alegre para que sejam realizados os testes, que demora em média 4 dias para ficarem prontos.

A coordenadoria afirmou também nesta manhã, que o caso envolvendo uma criança de cinco anos, está descartada. Os exames deram negativo para infecção pelo vírus. A criança continua passando por cuidados, por apresentar pneumonia.

Nos hospitais da cidade, já começam a serem oferecidas máscaras para pacientes com infecção respiratória, além de álcool em gel. Os vírus da influenza é contagioso e se disseminam de pessoa para pessoa especialmente através de tosse ou espirros das pessoas infectadas. Algumas vezes, as pessoas podem se infectar tocando objetos que estão contaminados com os vírus da influenza e depois tocando sua boca ou seu nariz.

No estado do Rio Grande do Sul, já foram registradas quatro mortes por Influenza A (H1N1). A última vítima foi uma mulher de 47 anos, moradora de Arroio do Sal, no Litoral Norte, que estava internada em Torres. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, ela estava dentro do grupo de risco em função de problemas pulmonares, tabagismo e obesidade.

 

O que posso fazer para não ficar doente?

• Existem ações cotidianas que podem ajudar a prevenir a disseminação dos germes que causam doenças respiratórias tais como a influenza. Para proteger sua saúde você deve:

• Cubra o nariz e a boca com um lenço de papel quando tossir ou espirrar, jogando o lenço no lixo após o uso.

• Lave as mãos com freqüência, usando água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar. Produtos para desinfecção das mãos à base de álcool também são eficientes.

• Evite tocar seus olhos, nariz ou boca. Os germes se transmitem dessa maneira.

• Tente evitar contato próximo com pessoas doentes.

• Se você contrair a influenza, recomenda-se procurar ajuda médica nos Postos de Saúde ou Hospitais.

Fonte e foto: Davi Martinelli/Atmosfera

 

COMENTÁRIOS