Retirada do tapume devolve o Castelinho ao convívio da população
02/08/2017 - 11h22 em Geral

Após alguns meses de atividades de limpeza e restauração da jardinagem e cerco do Castelinho, finalmente houve a retirada do tapume que alguns anos isolou e escondeu dos olhos da população aquele que é considerado o prédio símbolo da ocupação das terras da Colônia de Erechim, criada em 1908 e transformada no município em 2018. Foi no prédio que os migrantes das “Terras Velhas”, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Guaporé, Veranópolis e os imigrantes– russos, poloneses, alemães, italianos, judeus e mais de uma dezena de etnias europeias compraram suas propriedades e receberam título de propriedade na primeira metade do século 20 em Erechim.

Logo após assumir a gestão 2017-2020 o prefeito Luiz Francisco Schmidt solicitou um estudo da situação do Castelinho já que havia um processo judicial envolvendo a licitação da segunda etapa do projeto de restauração do prédio. Quando teve a resposta da possibilidade de limpar à frente e retirar o tapume - já sem serventia, pois o projeto de restauro estava suspenso -, confiou aos secretários Vinícius Anziliero (Obras Públicas e Habitação) e Cláudio Nei Ignácio da Silveira (Meio Ambiente) a responsabilidade do projeto de devolução da imagem do Castelinho ao contexto do Centro Histórico da cidade, formado pelo Palácio Municipal, Castelinho, Catedral São José, Praça da Bandeira e Chafariz.

Desde então, a Arquiteta Urbanista Ivana Aver (Obras) e a Engenheira Agrônoma Halina Kluch (Meio Ambiente) e suas equipes de servidores públicos, trabalharam sem qualquer publicidade das ações que visavam devolver o Castelinho para a comunidade. O projeto completo previa a lavagem das paredes, porém, logo nos primeiros testes foi constatado que a pintura saia facilmente. Isso provocou o abando da ideia de lavar todo o prédio por fora. Além do mais, existe material apodrecido em várias regiões que constaram da primeira etapa da restauração executada na gestão 2009\\2016, necessitando de substituição a curto prazo.

Nesta segunda-feira (31), nas primeiras horas da tarde teve início a retirada do tapume para a etapa de acabamento do passeio e dos retoques nas obras de engenharia. Parte do material do tapume foi utilizada no isolamento da área limite dos terrenos do Castelinho e do antigo Fórum de Erechim, hoje ocupado pela 15a. Coordenadoria Regional de Educação. A frase mais pronunciadas pelos transeuntes no momento da abertura da frente do prédio foi: “Até que enfim!”. A retirada do material foi acompanhada de perto pelo secretário de Obras Vinícius Anziliero e pela arquiteta Ivana Aver. Foi uma tarde de faxina, com vários servidores atuando no acabamento enquanto servidoras cuidavam da lavagem das escadarias e passeios.

Via: Jornal Boa Vista

Mas o Castelinho continuará fechado aguardando uma decisão jurídica de um processo aberto na gestão anterior na prefeitura de Erechim. Por enquanto as pessoas poderão tirar fotografias e viajar no tempo de uma construção que este ano está completando 100 anos de atividades – ele que foi construído entre os anos de 1912 e 1917. O prefeito Luiz Francisco Schmidt antecipou que existem empresas interessadas em restaurar sem custo para o município, o prédio histórico, que foi a sede da Comissão de Terras e Colonização - o braço do Governo Estadual no início do século 20, na Colônia de Erechim. Isso tudo pensando na comemoração em 2018 do centenário do município.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!