Metalúrgicos da Intecnial  aceitam demissão com parcelamento das verbas rescisórias
24/03/2017 - 16h33 em Geral

 

 

 

Mais de 200 funcionários da empresa participaram da assembleia extraordinária realizada nesta sexta, 24, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Erechim. Dos 205 trabalhadores que participaram da assembleia, 181 decidiram aceitar a proposta.

O presidente do Sindicato, Fábio Adamczuk detalhou a proposta apresentada pela empresa, que comunicou no início da semana ao Sindicato a necessidade de reduzir em 30% o quadro de pessoal, com a demissão de aproximadamente 100 trabalhadores. Segundo a direção da Intecnial as demissões devem acontecer entre 28 de março e 7 de abril . A proposta que foi aprovada pelos trabalhadores prevê o pagamento das verbas rescisórias, os salários em atraso e o FGTS em atraso (exceto o salário referente ao mês de março, que não deverá integrar as verbas rescisórias) em até 48 parcelas, garantindo o pagamento de, no mínimo, um salário mínimo por mês para cada trabalhador demitido até a quitação da dívida. Ficou acertado também que a empresa vai fazer o depósito do FGTS na conta vinculada de cada trabalhador junto à Caixa Econômica Federal. Já o pagamento da multa de 40% do FGTS será depositada somente o término do pagamento das verbas rescisórias, em parcela única.

Como a empresa está em processo de Recuperação Judicial e alega que não dispõe ou não pode oferecer bens em garantia do pagamento da dívida com os trabalhadores, ficou acertado que o saldo devedor será corrigido a cada 12 meses pelo índice correspondente à reposição salarial assegurada pelo dissídio da categoria.

A empresa também informou que aceitará demissões voluntárias, desde que não se trate de empregados considerados prioritários para continuar com as atividades.

A proposta aprovada pelos trabalhadores será formalizada através de um Termo de Acordo Coletivo que será firmado entre a empresa e o sindicato e servirá de base para as ressalvas nos Termos de Rescisões de Contratos de Trabalho.

A empresa vem atrasando o pagamento dos salários desde o começo do ano passado. Em maio, chegou a demitir mais de cem trabalhadores que mais tarde foram recontratados por determinação da justiça. Diretores tiveram bens bloqueados. Este é o terceiro acordo de demissão com parcelamento do pagamento das verbas rescisórias que a empresa negocia com o Sindicato. Já o pagamento mensal de um salário mínimo para o grupo de 187 trabalhadores demitidos em novembro de 2016 vem sendo feito com atraso. Com a dispensa de mais cem funcionários, sobe para mais de 300 o numero de empregados demitidos pela Intecnial em menos de um ano.

 

Fonte/Foto; JBV Online

 

COMENTÁRIOS